quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O Semáforo




O sinal vermelho sempre me intrigou. Ele fica lá em cima, como uma sentinela, observando tudo com aquele seu único olho. Um ciclope das ruas. Todos o obedecem, todos o respeitam. Fico aqui observando ele parar todos os carros.

O sinal verde também exerce o seu poder. Sempre se opõem às ordens do sinal vermelho. É a cor que todos desejam ver. É a cor que deixa o caminho livre para todos seguirem em frente, motoristas e  pedestres.

O sinal amarelo é o porta-voz. O meio termo entre o vermelho e o amarelo. É ele quem avisa que o verde está saindo para descansar e o vermelho está chegando para impor a sua ordem. Uma ordem imutável. O sinal amarelo é aquele que diz: “Ou você corre, ou vai parando porque o vermelho está chegando.”.

Hoje é uma sexta feira, estou cumprindo a rotina de ir para o trabalho. Chego da escola, banho, almoço, ponto de ônibus, ônibus, rodoviária, trabalho, rodoviária, casa.

No caminho para o trabalho, de dentro do ônibus eu observo os semáforos dessa minha cidade, Brasília. A Esplanada dos Ministérios é cheia de semáforos. São eles que tentam controlar o fluxo caótico do trânsito da capital do Brasil. Alguns anos atrás não era assim. A população cresce tanto que a qualidade de vida não consegue acompanhar. Não consegue ou não quer. Talvez ela queira crescer, mas não deixam.
Por falar em trânsito eu levei uma multa por andar na contramão. Nem Liguei.Sim, sim! Eu vou continuar andando na contramão do mundo. O Espírito Santo, o Consolador é o meu semáforo. Ele me indica quando eu devo parar, ele me alerta e me diz quando devo seguir. Ele me orienta, habita em mim, me santifica e me instrui.

"mas o Consolador, o Espírito santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito."  
      

Nenhum comentário:

Postar um comentário