terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Criança






Vendo minha irmã mais nova brincando me lembro dos meus tempos de criança.
Eu vivia sem preucupações e tudo o que eu mais queria era me divertir. Não entendia muita e às vezes via todo mundo sorrindo de algo que eu não sabia o que era mas eu forçava uma risada só para participar também, para me sentir importante, fingir que eu entendia tudo.
Assim como minha irmã que sai colocando tudo o que encontra na boca eu também tinha muita curiosidade. As coisas mais simples, como saber que pimenta arde, se tornam grandiosas. Tudo vira aventura.
Lembro-me de quando fui pela primeira vez à Ponte JK. Foi tudo tão mágico, prestei atenção aos mínimos detalhes, me encantei e fazia várias perguntas: "Como fizeram essa ponte?", "Será que os dedos dos pés dela estão enrrugados de tanto ficarem dentro d'água?", "Ela sente cócegas quando os carros passam por cima dela?". Hoje passo pela mesma ponte diversas vezes mas nenhuma é como a primeira, às vezes passo por ela sem perceber, mas não deixei para trás a curiosidade de criança. Ainda faço perguntas que aos ouvidos de muitos parecem bobas ou sem respostas.
Eu também era muito egoísta e ciumento. Fazia pirraça, quebrava coisas fazia drama por causa de um simples arranhão, tudo para conseguir atenção. Falava o que queria, não media palavras e me sentia bem porque todos achavam bonitinho. Eu não tinha paciência, queria tudo no meu tempo, queria que prevalescesse a minha vontade. Queria ser gente grande.

"Quando eu era criança, falava como criança, sentia como criança e pensava como criança. Agora que sou adulto parei de agir como criança." - 1 Coríntios 13.11 

Deixei para trás as coisas infantis. O comportamento infantil só é bonitinho em seu tempo certo. À medida que o tempo passa, a infantilidade vai ficando feia. A pureza, a inocência, o senso de dependência e a confiança da criança devem ser mantidos, mas, o demais deve ser deixado para traz.¹

"Então disse Jesus: 'Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas.'" - Mateus 19:14
Como fazer para ser como uma criança sem ser 'infantil'? 

Uma criança confia nos seus pais. Assim como uma criança se atira nos braços do pai, confiando que ele não vai deixá-la cair, nós também devemos nos atirar nos braços do Pai celeste, confiando que Ele não vai nos deixar cair. Só quem tem tamanha fé, e se faz pequeno assim, vai entrar no Reino dos Céus, e vai ser grande por lá.²

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Referências:
1 - http://predmilson.wordpress.com/2008/12/19/parei-de-agir-como-criana/
2 - http://reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com.br/2008/08/reflexo-evangelho-do-dia-12-de-agosto.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário