sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O Bambu Chinês





Humildade (latim humilitas, -atis, pequenez, modéstia) s. f.

1. Qualidade de humilde.
2. Capacidade de reconhecer os próprios erros, defeitos ou limitações. = MODÉSTIA ≠ALTIVEZ, ARROGÂNCIA, ORGULHO
3. Sentimento de inferioridade. = REBAIXAMENTO
4. Demonstração de respeito, submissão. = DEFERÊNCIA, REVERÊNCIA ≠ DESRESPEITO


Conta uma lenda chinesa que havia num lindo jardim um bambu, o qual era a planta mais bonita. Mas, apesar disso, sentia que não era feliz... faltava-lhe alguma coisa.
Um dia, o Senhor, muito preocupado, aproximou-se da sua árvore querida e o bambu com grande veneração baixou a cabeça. O Senhor disse-lhe:
– Meu querido bambu, vou precisar de ti!
O bambu sentiu que tinha chegado o seu momento, o dia para o qual tinha nascido. Com grande alegria, mas baixinho, respondeu:
– Estou pronto, Senhor, faz de mim o que quiseres.
– Bambu, para servir-me de ti, é necessário abater-te – disse o Senhor em voz séria.
O bambu ficou assustado e respondeu:
– Abater-me, Senhor, depois de me teres tornado na árvore mais bonita do teu jardim? Não, por favor, não faças isso! Usa-me para tua alegria, mas, por favor, não me abatas.
– Meu querido bambu, sem abater-te não te poderei usar.
Fez-se um grande silêncio. Então o bambu baixou ainda mais a cabeça e suspirou:
– Senhor, se não me podes usar sem me abater, então faz de mim o que quiseres.
– Meu querido bambu, não devo somente abater-te, mas devo também cortar as tuas folhas e os ramos – disse-lhe o Senhor.
– O Senhor, não faças isso comigo... deixa-me ao menos as folhas e os ramos.
– Se não queres que os corte, não poderei usar-te.
Então o bambu, já com uma voz muito fraca, disse:
– Senhor, então corta-me as folhas e os ramos, se assim achares necessário.
– Meu querido, tenho ainda que fazer uma outra coisa. Devo rachar-te em duas partes e arrancar-te o coração. Se não o fizer, não te poderei usar.
O bambu ficou sem palavras e baixou a sua linda cabeleira até ao chão.
O Senhor do jardim abateu o bambu, cortou os ramos, tirou as folhas, rachou-o em duas partes e arrancou-lhe o coração. Em seguida, levou-o à fonte de água fresca, próxima dos campos secos. Ali, muito cuidadosamente, o Senhor colocou o bambu no chão. Uma extremidade do tronco foi ligada à fonte de água, outra foi virada para o campo seco. Da fonte jorrava água, a água passava através do bambu oco e chegava alegre ao campo seco que há muito suspirava por aquela água fresca. Em seguida foi plantado o arroz. Os dias passaram, a semente cresceu e o tempo da colheita chegou. Assim, o maravilhoso bambu tornou-se uma grande bênção para aqueles campos secos devido à sua grande generosidade e humildade.



"Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará." - Tiago 4.10

Quando nos humilhamos a atitude é nossa, voluntária. Já quando somos humilhados é contra a nossa vontade, não foi voluntário. Nem sempre os humilhados são humildes, mas os humildes são capazes de se humilharem, se submeterem.



------------------------------------------------------------------------------------------------------

http://amigadoamigo.blogspot.com.br/2013/07/os-humilhados-serao-exaltados.html

http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=humildade

Um comentário:

  1. Oi, Pedro!
    Já conhecia esse texto sobre o bambu chinês. Uma bela crônica para revermos conceitos!
    :)
    O 7º BookCrossing Blogueiro está chegando, preparado?
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir